segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Homem invade colégio para tentar matar ex-mulher

A estudante Miriam de Souza dos Santos, 28 anos, livrou-se por pouco da morte, nesta quinta-feira (26) pela manhã, no interior do Colégio Adventista Paranaense, em Ivatuba. No momento em que seguia para a sala de aula, Miriam foi surpreendida e atacada pelo ex-marido, Elifal Pires Maciel, 33 anos, que tentou matá-la asfixiada.

A estudante foi salva por colegas, que investiram contra o agressor e, com muito custo, conseguiram dominá-lo. Dentro de uma bolsa que estava com Elifal, a polícia encontrou uma faca, dois estiletes, uma corda, uma tesoura e um litro de álcool.

Foi a terceira vez que Elifal tentou matar a ex-esposa. O motivo: ela recusa reatar o casamento, rompido em 2006. Nas duas primeiras investidas, Elifal usou um punhal e uma corda. A polícia foi avisada, mas nenhuma providência foi tomada para manter o agressor afastado da vítima.

Nesta quinta pela manhã, minutos antes do início das aulas, Elifal conseguiu adentrar ao colégio através de uma abertura existente no final do muro. A presença de Elifal no pátio acabou despertando a atenção de alguns alunos, que correram para alertar Miriam, que caminhava em direção da sala de aula.

Ao avistar o ex-marido, Miriam saiu correndo, mas foi alcançada e dominada com uma chave de pescoço. Indiferente aos apelos da ex-mulher e dos gritos dos alunos, Elifal continuou apertando o pescoço da ex até que ela desfalecesse. Alertados pelos gritos, alguns alunos investiram contra o agressor e só conseguiram domina-lo depois de atacá-lo a socos.

Mesmo dominado, Elifal voltou-se para uma aluna, de 18 anos de idade, e proferiu uma ameaça velada: "Vou olhar para você para gravar a sua cara e depois te pegar", disse ele. A Polícia Militar chegou em seguida e conduziu Elifal à 9ª Subdivisão Policial (SDP), em Maringá, onde foi autuado por homicídio tentado.

Em interrogatório ao delegado Laércio Cardoso Fahur, o designer apresentou uma versão pouco consistente. Sobre o primeiro ataque à ex-mulher, ocorrido há cerca de dois meses, ele explicou que "apenas envolveu o pescoço de Miriam com uma corda para conversar".

Questionado sobre a nova agressão, ele voltou a negar a intenção de matar. "Dei uma gravata nela porque ela tentou correr. Eu queria só conversar com ela", disse ele. Elifal também justificou o material encontrado em seu poder, alegando que os usa no exercício da profissão. Menos a faca, que a manteria para defesa pessoal.

Um comentário:

Aline disse...

Obs no caso: Se Mirian e Elifal estavão separados em 2006, o que Mirian veio fazer atrás de Elifal em 2007 em Guarulhos onde Elifal vio trabalhar p investir no sonho de mirian de ter uma vida melhor, e ela mostrando estar tudo bem, usando aliança, esbanjando sorrisos ao lado de Elifal que fazia todas as suas vontades, comprando tudo que Mirian queria, mandando também dinheiro para ajuda-la e estavam juntos na igreja, almonçamos juntos na casa de amigos e Mirian se dizia casada com Elifal. O que vemos é que Elifal foi enganado por Mirian, ela deveria ter falado a verdade, e não deixado condenar uma pessoa que tanto à ajudava somos testemunhas de tudo isso. Mirian se você estiver lendo esse comentario espero que possa refletir e ter misericordia de seu irmão em Cristo Elifal. A Justiça de Deus chegará para todos, pois ele vê todas as coisas e conhece sua vida e a do Elifal